Acabámos todas as temporadas das nossas séries preferidas. Foram semanas de binge watching em que nos rimos à gargalhada, nos emocionámos desde o fundo da alma e mal pudemos dormir a pensar em quem teria podido fazer tal coisa e no que iria acontecer a partir daí. O vazio instala-se, não sabemos o que fazer com aquele espaço de tempo depois do jantar em que já não é hora de ir para a rua mas ainda é cedo para ir dormir. Afinal, despedimo-nos de amigos que só voltaremos a ver quando um ataque de melancolia nos fizer revisitar todas as temporadas daqui a uns anos. Não é fácil, bem sei. Por isso, reuni toda uma lista de novas séries que é para ver entretanto, destinadas a preencher esse vazio, e que, longe de serem altamente eruditas e pseudo-intelectualoides, têm todo um potencial para se tornarem parte das vossas vidas.

Brooklyn Nine-Nine

O dia-a-dia e as peripécias de um peculiar grupo de detectives de uma esquadra de Brooklyn, Nova Iorque, entre os quais encontramos Jake Peralta, um detective brilhante mas imaturo, que vê o seu conforto e confiança serem abalados pela chegada de um novo capitão.

Razões para ver

  • É muuuuuito engraçada! Está recheada de boas piadas, referências sarcásticas e sátiras à cultura pop que todos identificamos e onde nos revemos facilmente.
  • As personagens são bem trabalhadas e as boas interpretações do elenco dão aquele toque de comédia física que completa toda a piada do guião.
  • Gina, Charles, Terry, Raymond e claro, Jake (o Adam Samberg é uber funny <3).
  • Os episódios não são isolados, há toda uma história principal a conduzir o decorrer de cada temporada, com bons ganchos que nos fazem querer acompanhar o desenrolar da acção.
  • Com episódios de cerca de 20 minutos, é óptima para descontrair no final de um dia de trabalho ou quando queremos ver algo rapidinho, sem ter de investir uma hora do nosso tempo.

Com Andy Samberg e Terry Crews.

Classificação IMDB: 8,3/10

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=BJFerFxmPPM

Está a decorrer e tem cinco temporadas, sendo que as quatro primeiras estão disponíveis no Netflix Portugal.

Jane the Virgin

Jane tem 23 anos e espera pelo dia do seu casamento para finalmente se entregar a alguém pela primeira vez. Eis senão quando, uma série de eventos peculiares transformam uma consulta de rotina na sua imaculada inseminação, o que vira a sua vida completamente de pernas para o ar. “Just out of a telenovela, right?”

Razões para ver

  • É MUITO, MEGA, SUPER divertida! Sendo a adaptação de uma telenovela Venezuelana, segue as regras do género ao mesmo tempo que o satiriza e enaltece de forma muito inteligente, além de que tem toda uma componente latina que torna tudo ainda mais engraçado.
  • O narrador, que não faz parte da história mas acentua deliciosamente tanto a comédia como a carga dramática.
  • Os cameos de celebridades como Britney Spears, Eva Longoria e Mario Lopez. 
  • A família de Jane emigrou para os EUA vinda do México, pelo que a série aborda sem pudores o efeito das leis de emigração e das políticas de Trump na vida e no dia-a-dia das pessoas.
  • O trabalho de edição, com, por exemplo, a adição de hashtags em determinados momentos, o que torna as cenas ainda mais divertidas. Vemos também a troca de mensagens de texto entre as personagens, incluindo coisas que escrevem, apagam e nunca chegam a enviar, o que nos transporta directamente para dentro dos seus pensamentos.
  • O desempenho brilhante de Yael Grobglas, uma vilã que passamos de odiar a adorar, muitas vezes em poucos segundos dentro da mesma cena. Além disso, a actriz faz não só de Petra Solano como da sua irmã gémea maléfica, Anezka e ainda de Anezka a fazer-se passar por Petra, enquanto consegue fazer-nos esquecer que é a mesma pessoa a interpretar tudo isto. ¿Quéeee?
  • Como numa boa telenovela, conflito não falta e bons ganchos também não: queremos sempre ver as cenas do capítulo seguinte.
  • #JAFAEL! #JAFAEL! #JAFAEL!
  • Por último vou só deixar este nome: Rogerio de La Vega. O seu desfasamento da realidade e tiques de estrela são de gé-ni-o!

Com Gina Rodrigues, que ganhou o Globo de Ouro de melhor actriz em série de comédia em 2015, pelo seu desempenho como Jane, e foi nomeada pelo mesmo papel em 2016 e 2017.

Classificação IMDB: 7,8/10

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=0NTmJjtDYn0

Está a decorrer e tem cinco temporadas, sendo que as três primeiras estão disponíveis no Netflix Portugal.

 

La Casa de Papel

Sim, sim, já sei… Deixem-me, é óptima mesmo com todos os defeitos!

Um grupo de criminosos que já não têm nada a perder é recrutado por “El Professor” para cometer o assalto perfeito.

Razões para ver

  • Berlin, Berlin, Berliiiiin, Nairobi, Nairobi, Nairooobiii, Denver, Moscú, Helsinki e… Estocolmo!
  • A estética é deliciosa, o impacto dos macacões encarnados e das máscaras de Dalí, a fotografia e aquele genérico maravilhoso são iguarias para os olhos de quem liga a estas coisas.
  • Longe de ser uma comédia, tem momentos muito, muito divertidos!
  • Acredito que daqui sairão as expressões “não sejas Arturito”, “cala-te, Arturito” e “aquele gajo é Arturito com’á merda”, para mandar calar/ designar alguém que está a ser/ é deveras irritante e chato com’á potassa.
  • Oh bella ciao, bella ciao, bella ciao ciao ciao
  • O ritmo da série é alucinante e, à medida que avançamos, vamos conhecendo a história das personagens e acarinhando-as cada vez mais (apesar de serem assaltantes e terem feito uma data de reféns).
  • A surpresa constante. Convenhamos, cada vez é mais difícil apanhar a audiência desprevenida, mas La Casa de Papel consegue-o, uma vez após outra, com um contar da história altamente cativante.
  • Não é a série perfeita, tem um monte de inconsistências, enredos secundários mal explicados e aquela inspectora Murillo nem com um soco na boca ia lá (oh mulherzinha irritaaanteeee)… Mas perdoamos-lhe tudo isto e rendemo-nos, porque não temos mesmo outra hipótese.

Com Úrsula Corberó e Pedro Alonso

Classificação IMDB: 8,8/10

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=ANNk3E0YGRU

O maior assalto da história é resolvido numa temporada dividida em duas partes, estando a segunda já a decorrer no Netflix Portugal, e acaba de ser confirmada a renovação para uma terceira temporada! OH BELLA CIAO, BELLA CIAO, BELLA CIAO CIAO CIAO! 

 

Riverdale

Quem matou Jason Blossom? É com esta pergunta completamente Twin Peaksiana que somos levados até Riverdale: uma pequena cidade norte-americana onde Archie e os seus melhores amigos tentam descobrir quem está por detrás dos crimes que assolam o outrora pacato lugar.

Razões para ver

  • Mistério, mistério, mistério. Algo de muito obscuro se passa em Riverdale…
  • A série é baseada na banda desenhada Archie and Friends, algo que transparece tanto na caracterização das personagens e cenários, como na fotografia. Há determinadas cenas em que, por exemplo, Archie e o seu cabelo ruivo parecem, literalmente, modelados em 3D. No fundo, não quero tornar este texto repetitivo, mas a estética, senhores, é de fazer altares aos santinhos da beleza cinematográfica! E perco-me pelos néons envolvidos, confesso.
  • Não temos bons nem maus. As personagens são humanas, cheias de falhas, incertezas e com um lado sombrio (bem sombrio) com o qual não sabem lidar, mas que teima em vir ao de cima.
  • A hipnotizante Cheryl Blossom, tanto em termos de desenvolvimento de personagem como visualmente.
  • O fofinho do Jughead Jones. E do FP Jones. E do Cole Sprouse, que interpreta o Jughead Jones. #yesimsixteen #andimnotashamedofit

Com Luke Perry (90210) e, pontualmente, Molly Ringwald (Breakfast Club) como pais de Archie.

Classificação IMDB7,7/10

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=HxtLlByaYTc

Tem duas temporadas, estando a segunda a decorrer no Netflix Portugal. Foi recentemente confirmada uma terceira temporada.

 

Big Little Lies

Por último, deixo apenas uma nota para Big Little Lies: é absolutamente obrigatória. Do elenco às personagens, da fotografia à edição, da história em si à maneira como está contada e à banda sonora de génio, tudo é bom. TU-DO. E a segunda temporada, que deve estar quase, quase a estrear, junta Meryl Streep a Nicole Kidman e Reese Witherspoon. Just sayin’. Se não virem a série, pelo menos oiçam isto.

Fontes das imagens: Destaque. Brooklyn. Jane. La Casa. Riverdale. Big Little. 

NEWSLETTER

Gostas de ler os nossos artigos?

Então subscreve a nossa newsletter e fica a saber que temas estão a alimentar a peixeirada aqui por estes lados.

Já sabes, prometemos somente dizer tudo o que nos apetece!

Subscrição bem sucedida!

Pin It on Pinterest